Pular para o conteúdo

Uma história da infância

23/06/2016

rosi-fontes-exposic%cc%a7a%cc%83o

 

Texto curatorial para a exposição individual de Rosilene Fontes (Dconcept Escritório de Arte, São Paulo, junho/2016)

Era uma vez, uma artista que há tempos desejava desenhar pássaros. Num dia de outono, lendo sobre Leonardo da Vinci, descobriu que ele escreveu um livro intitulado Fábulas e lendas e que sua única lembrança da infância era um sonho com pássaros. Foi nessa época que Rosilene Fontes começou a contar Uma história da infância, narrativas em que a ficção mescla-se às suas memórias pessoais.

Nos trabalhos da artista, a apropriação, a colagem, a desconstrução e a reconstrução são procedimentos recorrentes. Nos seus desenhos, utiliza colagens realizadas anteriormente (com as Damas de Leonardo) como base para observação. Além das ações de adição, emergem as de apagamento como em Milhafre, desenho em que apenas a cabeça do pássaro permanece, chamando a atenção para o fato de que a discussão sobre a memória envolve o esquecimento. A apropriação também está presente em Ninho (instalação produzida a partir de um ninho encontrado na varanda da casa da artista) e em outras caixas-objetos como Casa árvore e Casa ninho.

A série que empresta o nome à exposição engloba caixas-objetos construídas a partir do livro Fábulas e lendas. Rosilene seleciona histórias que se relacionam com a sua memória: da Cotovia, do Pavão, do Cisne, do Pelicano, da Águia, por exemplo. A artista reinventa seus títulos e conteúdos, utilizando-os como suportes para materializar outras narrativas, alinhavadas em outros tipos de páginas. Além das lendas citadas, a artista relata também a história da Garça através de um desenho-instalação que amplia suas caixas-objetos para o espaço expositivo.

Uma característica das fábulas e das lendas é que estas propõem uma moral ou um ensinamento. As obras de Rosilene são espaços de fabulações que provocam outras leituras. Pode-se afirmar que nestas sobreposições de imagens, a artista propõe que os pássaros – ou os visitantes da exposição – voem por outros mapas, por outros livros e por uma (outra) história da infância.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: